Sai Fora, Macho!

Pesquisadores brasileiros e americanos concluíram que os antepassados dos anfíbios que fugiam dos principais cursos de água para se reproduzir na terra, faziam isso para evitar a concorrência de outros machos e garantir o seu sucesso reprodutivo. Portanto, além de evitar predadores aquáticos, o benefício de depositar seus ovos na terra longe do corpo principal de água -- se você é um sapo macho -- é que você mantém a fêmea longe do frenesi reprodutivo onde há centenas de outros machos, todos competindo por acesso às fêmeas

Quando o assunto é sucesso reprodutivo, os seres vivos levam isso muito a sério. Como sabemos, é por meio da reprodução que um indivíduo garante a passagem de seu DNA para a gerações futuras. Portanto, quanto mais descendentes um individuo deixar, maiores chances ele tem de perpetuar o seu material genético nas gerações seguintes. Um estudo conduzido por pesquisadores brasileiros e americanos concluiu que os antepassados dos anfíbios que fugiam dos principais cursos de água para se reproduzir na terra, faziam isso para evitar a concorrência de outros machos e garantir o seu sucesso reprodutivo.
“Além de evitar predadores aquáticos, o benefício de depositar seus ovos na terra longe do corpo principal de água -- se você é um sapo macho -- é que você mantém a fêmea longe do frenesi reprodutivo onde há centenas de outros machos, todos competindo por acesso às fêmeas”, afirma a bolsista de pós-doutorado Rayna Camille Bell, da universidade UC Berkeley, uma das autoras do artigo.
A conclusão veio depois dos pesquisadores analisarem o tamanho dos testículos de espécie tropicais de rãs de dois grupos diferentes, Hylidae e Leptodactylidae. Eles imaginaram, e depois confirmaram, que machos sujeitos a uma concorrência mais feroz devem ter testículos maiores e de tamanhos mais variáveis, a exemplo do que acontece com outros animais cujos machos enfrentam grande disputa para encontrar uma companheira.
Conforme as pesquisas demonstraram, a maior parte da diversidade de estratégias de reprodução envolve a fase de ovo, que mesmo em terra estão susceptíveis a predadores. Além disso, os girinos rapidamente buscam águas perigosas. Esse padrão, na visão dos responsáveis pelo artigo, indica que a seleção natural age de forma diferente quando se trata de proteger os ovos ou os girinos.
"Os trópicos têm a maior diversidade de espécies de anfíbios, bem como a maior diversidade e complexidade nos modos reprodutivos das rãs", destaca Rayna Bell, "Mas nós sabemos o mínimo sobre a biologia, comportamento e diversidade destas espécies tropicais, embora muitas estejam ameaçados e só agora algumas estejam sendo descobertas”, completa.
A pesquisa foi publicada este mês na revista The American Naturalist.
Para saber mais, clique nos links acima

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Mariposa da Morte

Tecnologia Indígena

Sensibilidade e Especificidade